21 de set de 2012

As 7 Igrejas do Apocalipse: #Laodicéia.

Sétima carta à igreja de Laodicéia.
E ao anjo da igreja que está em Laodicéia escreve: "Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus. Eu sei as tuas obras, que nem és *frio nem quente. Tomara que foras frio ou quente! Assim, porque és morno e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca. Como dizes: "Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta (e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu), aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças, e vestes brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os olhos com colírio, para que vejas. Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê, pois, zeloso e arrepende-te. Eis que estou à  porta e bato; *se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e com ele cearei, e ele, comigo. Ao que vencer, lhe concederei que se assente comigo no meu trono, assim como eu venci e me assentei com meu Pai no seu trono. Quem tem ouvidos ouça o que o *Espírito diz às igrejas. (Apocalipse 3:14-22).

Notas: *Frio nem quente...morno: Esta é a descrição da condição espiritual da igreja de Laodicéia. A igreja morna é aquela que transige com o mundo e, em comportamento, se assemelha à sociedade ímpia ao seu redor; professa o cristianismo, mas, na realidade, é espiritualmente "desgraçada e miserável" (vv. 17,18). Cristo faz a esta igreja uma séria advertência no tocante do seu julgamento contra a mornidão espiritual (vv. 15-17).Cristo faz também um convite sincero para que se arrependa e seja restaurada a uma posição de fé, justiça, revelação e comunhão (vv. 18,19). Nesta era de igreja morna, firmes são as promessas de Cristo às igrejas vencedoras. Ele virá a elas com bênçãos e no poder do Espírito Santo (vv. 20-22), e abrirá uma porta para que possam glorificar o seu nome e proclamar o evangelho eterno (v.8).
*Se alguém ouvir a minha voz: A igreja de Laodicéia, em sua próspera auto-suficiência e seu mundanismo (vv. 15-18), tinha rejeitado o Senhor Jesus Cristo. O convite de Cristo, como estando fora da porta da igreja, é um apelo seu por comunhão com qualquer pessoa que se arrepender da mornidão espiritual (v. 21).
*O Espírito... às igrejas: Devemos sempre ter em mente a distinção entre as igrejas locais e o Espírito Santo. As igrejas estão subordinadas ao Espírito de Deus e à sua Palavra insipirada (1Tm 3.15,16; 1Pe 1.24,25; 2Pe 1.20,21). Essa distinção entre o Espírito e as igrejas locais pode ser expressa através das seguintes verdades bíblicas: O Espírito não é propriedade das igrejas, nem de qualquer instituição humana. Ele é o Espírito de Deus e de Cristo, e não o Espírito das igrejas (v.1). O Espíirto é livre para operar onde quiser, de conformidade com os padrões justos de Deus (Jo 1.33; 4.24; 7.39; 14.17). O Espírito Santo representa o senhorio atual de Cristo sobre as igrejas. O Espírito e a sua Palavra são a autoridade final. As igrejas devem constantemente julgar suas normas de fé e conduta pelo Espírito. Uma igreja não deve depositar fé noutra igreja; nem obedecer ou seguir outra igreja. O Espíirto e a Palavra inspirada são maiores do que as igrejas históricas. O Espírito Santo permanecerá em qualquer igreja, somente à medida que esta permanecer fiel a Cristo e à sua Palavra e observar o que o Espírito disser às igrejas.

Fonte: Bíblia de Estudos Pentecostal, Donald C. Stamps - Traduzida por João Ferreira de Almeida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário passará por aprovação antes de ser postado.
Que Deus te abençoe!