9 de ago de 2012

A sabedoria da rainha Ester e outras lições.

Ao meditar no livro de Ester, percebo a rainha Ester como um bom modelo a nós mulheres seguirmos antes de tomarmos decisões importantes e também antes de nos expressarmos.
Fico imaginando o quão aflita Ester deve ter ficado ao receber a notícia de que seu povo seria arruinado por intermédio de Hamã. Ester poderia ter se precipitado e ido falar de imediato ao rei para que não mais destruíssem o seu povo. Mas ao invés disso, Ester convocou a ajuda do oficial Hatá, e lhe instruiu para que pedisse a todos os judeus que jejuassem durante três dias e três noites, assim como ela e suas criadas também fariam. Observamos que Ester não foi ter com o rei até não haver jejuado. Só depois destes três dias Ester se colocou no pátio, para pedir ao rei que ele e Hamã fossem ao banquete que ela teria preparado.
Hamã na noite anterior ao banquete, havia ainda se vangloriado de suas riquezas e de como o rei o havia promovido acima de seus muitos nobres.
Naquela mesma noite o rei não conseguia dormir, e então ao ouvir as crônicas do seu reinado, lembrou-se que Mordecai, o pai de Ester e também judeu, havia livrado o rei da morte ao falar da conspiração contra o rei por parte de alguns oficiais do palácio. Então o rei mandou chamar a quem estivesse no pátio, e era justamente Hamã quem estava, o inimigo dos judeus.
"Entrando Hamã o rei lhe perguntou: "O que se deve fazer ao homem que o rei tem o prazer de honrar?" E Hamã pensou consigo: "A quem o rei teria prazer em honrar, senão a mim?" Por isso respondeu ao rei: "Ao homem que o rei tem prazer de honrar, ordena que tragam um manto do próprio rei e um cavalo que o rei montou, e que ele leve a coroa do rei na cabeça. Em seguida, sejam o manto e o cavalo confiados a alguns dos príncipes mais nobres do rei, e ponham eles o manto sobre o homem que o rei desejar honrar e o conduzam sobre o cavalo pelas ruas da cidade, proclamando diante dele: "Isto é o que se faz ao homem que o rei tem o prazer de honrar!" O rei ordenou a Hamã: "Vá depressa apanhar o manto e o cavalo, e faça ao judeu Mordecai o que você sugeriu. Ele está sentado junto à porta do palácio real. Não omita nada do que você recomendou." Então Hamã apanhou o cavalo, vestiu Mordecai com o manto e o conduziu sobre o cavalo pelas ruas da cidade, proclamando à frente dele: "Isto é o que se faz ao homem que o rei tem prazer em honrar." (Ester 6: 6-11).
Percebe-se aqui que Deus criou estratégias para que Hamã, o homem que odiava os judeus, tivesse agora de servi-los! O texto fala que Hamã não iria se contentar apenas com a morte de Mordecai, mas que queria executar todo o povo, numa atitude de ira e orgulho, ao perceber no palácio que Mordecai não se prostrava aos seus pés como os demais.
Como se não bastasse Harã ter se humilhado a Mordecai ordenado pelo rei, após o rei Xerxes atender ao pedido de Ester de não mais permitir a destruição daquele povo, ainda mandou que enforcassem Hamã com a forca que ele próprio mandou fazer com o intento de matar Mordecai.

Tiramos várias lições deste livro, sendo uma delas não vangloriar-se, não ser orgulhoso, nem se portar com ódio. O ódio faz com que as pessoas sejam movidas por impulsos destrutivos, tal qual um povo inteiro que seria destruído, por causa de um só homem. E não este um homem justo, mas assim como disse a própria rainha, um homem perverso.
Ester se mostrou uma mulher sábia. Ela soube o momento de falar com o rei, soube se portar frente a uma decisão tão importante, e ainda,  jejuou antes de interceder. Por isso antes de agir frente à situações difíceis, devemos orar, jejuar e buscar o apoio dos demais, assim como fez Ester ao pedir jejum do seu povo.

Leia mais sobre "Como se expressa uma mulher sábia", aqui.

Fiquem na Paz de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário passará por aprovação antes de ser postado.
Que Deus te abençoe!